Está aqui

Como ganhar dinheiro escrevendo como freelancer

O boom da Internet abriu inúmeras portas para o escritor freelancer: se por um lado existem novos meios de comunicação que necessitam de alguém especializado na escrita; por outro lado, a ligação online permite que um redator freelancer trabalhe para qualquer meio – online ou offline – a partir de qualquer parte do mundo. Se a escrita é a sua paixão, torne-a rentável e aprenda como ganhar dinheiro escrevendo como freelancer.

Preparação prévia

Mais importante do que o seu currículo, um redator freelancer necessita de ter um bom portfólio com diferentes exemplos de textos/artigos já escritos e/ou publicados, de preferência com indicação da referida publicação e data. Quando um escritor freelancer pretende lançar-se num determinado nicho e não tiver nenhum tipo de matéria relevante nessa área, é importante escrever artigos propositadamente para isso. O portfólio também ganha valor adicional se tiver artigos originais, que nunca foram publicados – assim estão prontos para serem adquiridos, ou seja, não há forma mais fácil de ganhar dinheiro a escrever. Outra dica importante para um redator freelancer que quer ganhar dinheiro a escrever e que tem o portfólio como cartão-de-visita é investir na apresentação do mesmo: se tiver algumas noções de design, não será difícil tornar o seu portfólio visualmente atrativo; se tiver dificuldade nessa área, peça ajuda a um amigo ou contrate um profissional. Para além do portfólio ser uma expressão criativa de si enquanto escritor ou jornalista freelancer, não deve descurar a sua apresentação profissional, ou seja, o seu formato deve ser cuidado e sempre em PDF.

A potencialidade de um blog

Outra forma de preparar a divulgação dos seus serviços enquanto escritor freelancer e principalmente se pretende ser um redator de internet, é criar um blog: para além de ser uma espécie de portfólio online, permite-lhe praticar a sua escrita regularmente e aperfeiçoar a própria escrita online – um escritor web especializado pode ter muita procura. Adicionalmente, criar e manter um blog de sucesso é, em si, uma excelente maneira de ganhar dinheiro escrevendo, quer seja através do Google Adsense, quer seja através de patrocinadores do blog. 

Formas de ganhar dinheiro a escrever offline

Desde jornais locais ou semanários, passando por revistas generalistas e revistas especializadas, existem inúmeras formas de ganhar dinheiro a escrever offline. Se pretende conquistar este mercado como escritor freelancer o principal passo é pesquisar os meios de comunicação com os quais se identifica, ou seja, que exploram temas sobre os quais tem capacidade de escrever e/ou com os quais se identifica. O segundo passo é apresentar-se como redator freelancer junto dessas publicações e é aqui que deve enviar, juntamente com uma carta/e-mail de apresentação, o seu portfólio. Adeque o seu portfólio a cada publicação, o que pode significar eliminar, acrescentar ou até criar novos artigos. Se uma revista ou jornal se identificar com o seu estilo de escrita e os artigos que escreve, maiores serão as probabilidades de conseguir ganhar dinheiro a escrever.

Formas de ganhar dinheiro a escrever online

Existem milhões de sites na web e esse é um número que cresce de dia para dia… e o que é que isso significa para um redator freelancer? Significa que tem um mundo de oportunidade à sua espera no que toca a ganhar dinheiro escrevendo. Se nunca pensou ser um redator web, então está na hora de reconsiderar, uma vez que essa é uma das profissões mais populares do século XXI e com tendência para crescer. Porquê? Porque nos dias que correm, quem procura informação procura-a cada vez mais online e, para que essa informação se mantenha constante, atualizada e apelativa, um escritor web criativo e com uma voz distinta, é o segredo para esse sucesso. De forma a encontrar trabalho como redator freelancer online deve manter-se atento a ofertas de emprego para escrever artigos para a Internet, consultando regularmente sites como o Carga de Trabalhos ou o Net Empregos, por exemplo.

Escrever.com

Se pretende iniciar ou consolidar a sua carreira como escritor freelancer e quer ganhar dinheiro escrevendo para a web, então anote este endereço: www.escrever.com. O escrever.com é um projeto em língua portuguesa, inteiramente voltado para quem quer ganhar dinheiro como redator online. Uma pesquisa rápida e intuitiva no site revela que este é inteiramente dedicado a quem adora escrever e quer fazer disso uma atividade lucrativa. O primeiro passo é a candidatura, onde terá de escrever um artigo com um mínimo de 500 palavras – se a candidatura for aceite, recebe uma conta de redator freelancer e poderá, a partir desse momento, escolher entre as diversas encomendas disponíveis, escrevendo artigos sobre temas do seu agrado e conhecimento… e ser pago por isso! Quantos mais artigos conseguir escrever, mais dinheiro consegue ganhar… um excelente desafio para qualquer escritor freelancer!

Votação: 

Comentários

Replied
Retrato de Cid Gadelha e Xavier

Puxa-Saco, Bajulador, Lambeteiro,Adulador, Louvaminheiro, Incensador, Babão, Chaleira, Lambe-Botas, Xeleléu...

O Bajulador funciona como uma espécie de bomba de ar, que diante da possibilidade ou mera expectativa em obter oblíquas compensações e vantagens pessoais, se coloca sempre disposto a inflar egos carecidos de sopro alheio.

Desde tempos imemoriais os indivíduos cujas personalidades abraçam os adjetivos de que cuida o título acima, gravitam em torno de todas as esferas de poder suscitadas pela existência humana. Absolutamente nenhuma nesga de poder, qualquer que seja, escapa-lhes a vigilância, presença e interferência aleivosa.

Contudo, é, seguramente, no ambiente palaciano da vida pública, e nos subterrâneos da política, onde o adulador encontra melhor acústica à propagação da sua voz cavilosa, alcoviteira e conspiratória.

O amigo leitor, que por um motivo ou outro tropeça nesta página, deve ser sabedor, que neste exato instante em que corre o olhar por sobre estas linhas, o elemento invertebrado do puxa-saco já se acha em convulso assanhamento, em doida ansiedade para ocupar a sua condição de apêndice inextirpável da campanha eleitoral que se avizinha.

Pedro Nava, ao eleger por objeto de observação a estampa subreptícia do bajulador na política, com a agudeza de sempre, cravou: “Fica-se envergonhado de pertencer à mesma humanidade – não digo dos pobres bajuladores primários, mas dos bajuladores aperfeiçoados que, não contentes em lamberem as solas dos que sobem, metem as suas na cara dos que caem”.

Aqui, aporto a minha modesta opinião à do grande memorialista, assim como ele, concedendo um bom desconto ao que na Cidade de Sousa da minha infância convencionou-se alcunhar de xeleléu. Que vinha a ser o adulador apequenado, tacanho no seu potencial de urdidor de intrigas, e a quem, na maior das vezes, se reservava o papel de bobo da corte. Assesto sim, todo o meu asco e desprezo ao incensador profissional de agora, que nos interregnos dos pleitos eleitorais se mimetiza em piolho lambeteiro, especializado em se alojar nas virilhas das administrações públicas e dos gabinetes políticos.

A bem da verdade impende sublinhar, que esses sevandijas vêem a sua tarefa servil em muito estimulada, por parcela expressiva dos homens públicos, na medida em que estes os incitam no fabrico, em profusão, da baba que lhe é imanente a fim de que sempre tenham azeitadas as engrenagens da vaidade.

Finalmente, em vista da galopante aproximação das eleições vindouras, por preocupação sincera, e a guisa de alerta amigo, é bom que se registre, que cada filete da baba viperina que escorre pelos beiços dos chaleiristas de plantão, torna o solo das campanhas eleitorais, já juncado por matizados conflitos de interesses, mais fértil à intolerância, às desavenças, e aos ressentimentos. Olho neles!

Por Cid Gadelha e Xavier.

Replied
Retrato de Fabi

Oi.
Eu estou começando a escrever alguns textos como freelancer, a maioria corporativos, e tenho dúvidas quanto aos valores, pois, geralmente sou intermediada por uma agência de publicidade que sempre me pede um orçamento, sem dar muitos detalhes do projeto.
Fico na dúvida de quanto cobrar, pois, na maior parte das vezes, eles abrem concorrência e preciso ter um preço acessível, mas ao mesmo tempo, não quero transformar meu trabalho em uma feira livre.
Quero trabalhar por quantias justas.

Se vocês tiverem alguma ideia de como eu estipulo um preço honesto, sem cobrar muito e sem sair no prejuízo, por favor, me ajudem com isso!!
Obrigada!

Replied
Retrato de Edgar

Do indivíduo, Kierkegaard.

“Em minha vida não acrescentei um pouco de reflexão, fui reflexão do início ao fim.”
Soren Kierkegaard

1. Breve biografia

“Si hay escritores cuya vida y obra son realmente inseparables, uno de ellos es, sin ninguna duda, Sören Kierkegaard (...)” (Ana Maria Fioravante)

Trata-se de um pensador dinamarquês que viveu em Copenhage entre 1813 e 1855. O seu trabalho “O Conceito de Ironia: Constantemente Referido a Sócrates” (1841), atribuiu-lhe o título de Mestre em Filosofia (16 de julho de 1841), bem como, em Teologia (29 de setembro de 1841). Isto, na universidade de Copenhage.

O seu pai, Michel Pedersen Kierkegaard, lançou uma maldição sobre Deus, ao experimentar a dureza da vida, numa charneca na Juntilândia. Depois alcança prosperidade, mas dos seus sete filhos cinco morrem bem como a sua mulher, restando apenas Pedro e Soren. Passa então a pressupor uma maldição sobre sua família e numa tentativa de livrar os filhos de uma sorte terrível, submete-os a uma educação religiosa rígida.

No livro “Meu Ponto de Vista Explicativo da Minha Obra Como Escritor”, Kierkegaard revela nunca ter tido a imagem de um menino Jesus, mas apenas do Cristo ensanguentado. Isto força a um amadurecimento, veio a ser adulto no corpo de criança.

O relacionamento com o seu pai foi dificultoso, mas acontece uma reconciliação algum tempo antes de sua morte, em 1838. Também grande marco, é o rompimento do noivado com Regina Olsen.

2. O Pensamento do autor

O seu ponto de vista é o do indivíduo em oposição à multidão. Porque na coletividade faz-se tudo movido por covardia, sem comprometimento. O geral é privação do indivíduo dele mesmo, uma fuga.

O sistema está maquiado por maneiras habituais de sempre se dizer e fazer as coisas. Na individualidade, porém, experimenta-se à possibilidade, o que causa angústia. É, todavia, único meio de realização verdadeira, para encontrar o propriamente humano.

O proposto é que se lide com a existência tendo-a como dom e tarefa. Quando é apenas um dom o ser humano torna-se uma continuação do passado, perde a liberdade necessária para a sua auto-realização.

Quando o aspecto tarefa é totalitário, então o encanto, a benção e o amor se perdem. Toda a existência perde o seu valor. O ser humano é sempre ele mesmo e humanidade. O pecado esta na simplificação.

Assim é que se deve encarar a vida na visão desse filósofo, Soren Kierkegaard é o amor pelo paradoxo, pela tensão. A simplificação cabe apenas na ideia, no sistema. Mas se a dúvida é evanescente no sistema, perdura na existência real.

3. Para os dias de hoje

Estamos numa época de grandes propensões aos fanatismos. Fanatismos ideológicos, partidaristas, religiosos. Convida-nos a não entregarmos nossa liberdade de pensar, porque a nossa existência sendo apenas ela mesma, não pode isentar-se da responsabilidade de estar aqui e agora.

Diante de eventos que se realizam no país a esta altura, das manifestações envolvendo assuntos estatais. Os protestos em si fazem com que as pessoas se comportem como bando, provavelmente seja esta a fonte dos vandalismos ou mesmo do civismo apreciável. Mas é necessário que além do “um por todos”, haja o “cada um por si”.

A multidão é soma de indivíduos que têm suas vidas marcadas pela condenação de serem livres. Devem então despertar-se para o aspecto de a vida ser um dever e não receberem tudo passivamente. Não apenas neste momento, mas em relação à existência.

Há questões urgentes que reclamam a retomada da consciência da tarefa que não se esqueça do dom. Da renovação que não despreze a tradição. Daqueles que amem a complexidade e não apelem para simplificações reducionistas. Isso, por parte de cada brasileiro e de cada ser humano.

4. Sites de Referências a Soren Kierkegaard

5.1 Em língua portuguesa

http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%B8ren_...
http://educacao.uol.com.br/biografias/so... (Neste site há uma boa apresentação das

5.2 Sites em outras línguas
http://sorenkierkegaard.org/
http://www.egs.edu/library/soeren-kierke...
http://www.iep.utm.edu/kierkega/
http://global.britannica.com/EBchecked/t...
http://www.sorenkierkegaard.nl/
http://www.sorenkierkegaard.com.ar/

5.3 Comprar livros

http://www.martinsfontespaulista.com.br/... Neste site encontrei os livros da Trotta Editorial que trazer em espanhol livros que se não existem em português ao menos são muito raros.

Replied
Retrato de marciorocha

Boa tarde como faço para me candidatar a ser um redator free lancer, aonde escrevo o artigo com as 500 palavras?

No aguardo.

—-

marcio rocha
thefreewritter

Replied
Retrato de Mariana Ramacciotti

Interessante!

Escrever é sempre bom, fazer isso ganhando algo por é melhor ainda! Sempre tive estórias, quadrinhos e coisas do gênero, está ai mais uma maneira de treinar a escrita!

—-

~Marrie

Replied
Retrato de shadowriter

como poderei enviar a minha candidatura onde hei-de publica-la. obrigado

—-

Shadowriter

Replied
Retrato de naldo66

As pessõas estão cada vez mergulhando na pena de morte principalmente os nossos queridos jovens ,que precisam de mais incentivo por parte de toda sociedade organizada, dos politicos das instituições

Replied
Retrato de naldo66

eu jamais defenderei a pena de morte, eu acredito no ser humano, que todos os dias são penalizados ou executados pelos crimes organizados , em busca de uma substancia que não leva ninguem a virtude as drogas, temos todos nós tomar uma decisão não de julgar e sim reconstruir a vivencia do ser.depende de todos nós.

Replied
Retrato de marlise santos

Estou esperançosa,procuro uma forma de fazer o que gosto e gerar assim uma renda extra para judar no orçamento doméstico.Espero que seja aprovada e agradeço desde já por esta oprtunidade.

—-

Marlise Santos

Replied
Retrato de MicroWorkers

Olá!
Sou Nicolas Marin e sou co-criador do Microworkers.com.br o novo market place online de serviços voltado para o mercado brasileiro.
O objetivo do projeto é facilitar o comercio de serviços online de diferentes profissionais liberais. O nosso modelo de negócio tem como vantagens a praticidade e a facilidade para criar anuncios e para que os compradores possam encontrar rapidamente soluções a baixo custo.
Temos um filtro exigente na hora de aprovar os anuncios e não permitimos serviços que possam arriscar o beneficio dos usuários.
Queremos apresentar publicamente nossa solução e para isso gostariamos saber se podemos contar com seu espaço para que o mercado possa saber dela.

MicroWorkers

Muito Obrigado

Replied
Retrato de REGINA HELENA SARAPO

Texto bem estruturado e criativo - a bem da verdade essa espécie nasceu com o mundo, é parte dele,tal qual os peixinhos que vivem grudados nas baleias; no entretanto, nao só a bajulação ultrapassa as fronteiras da ética; o egocentrismo exacerbado, a mente engessada, o entusiasmo mal-cheiroso perante os poderosos, principalmente sem pensar no mal que seus atos apequenados podem ferir, esgarçar, esmigalhar, um cidade, um estado, um país. Em completa concordância com os que, por vezes, até se contentam com as migalhas dos políticos em especial, para maquiavelicamente, mais tarde, guardarem nos bolsos da intriga o que ouvem e se comenta e usarem em viscosa delação. São os verdadeiros "diabos da Tasmania", isentos de ética, de senso comum, de respeito a outrem. No entanto, por mais pueril que se possa mencionar, exite fatalmente o efeito boomerang. Hão que trilhar os mesmos caminhos que criaram, agora descalços frente a paisagem desolada, eis que seus fantasmas se aproximam. Minhas congratulações aos autores do texto.
Por Regina Helena Sárapo
São Paulo - Brasil

—-

REGINA HELENA SARAPO

Votação

Em que altura do dia costuma escrever mais?

Iniciar sessão

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.